A embaixada da República Popular da China em Portugal, com a colaboração do Instituto Confúcio da Universidade de Lisboa, organizaram no passado sábado, 30 de abril, em Lisboa, a 15ª Edição do Concurso Chinese Bridge para Alunos Universitários e a 9ª Edição do Concurso Chinese Bridge para Alunos do Ensino Secundário, concursos de proficiência de mandarim.

   Na 15ª Edição do Concurso Chinese Bridge para Alunos Universitários, estiveram presentes nove alunos de três instituições (Instituto Confúcio da Universidade do Minho, Instituto Confúcio da Universidade de Lisboa e Instituto Politécnico de Leiria), dos quais três alunos do Instituto Confúcio da UMinho, dois deles ocupando o primeiro e o terceiro lugar.

    Samuel Pascoal, Mestre em Teatro e aluno do Curso de Chinês Comercial e Turístico do Instituto Confúcio da UMinho, convenceu o júri com o seu chinês fluente e seguro e com uma fantástica interpretação de um poema do famoso poeta chinês Li Bai. Ao ficar em primeiro lugar, foi-lhe concedida a oportunidade de representar Portugal, na edição deste ano do Chinese Bridge na China China.

    Bruno Leite, aluno da licenciatura em Línguas e Culturas Orientais da Universidade do Minho, revelou também uma notável proficiência em mandarim e entusiasmou os jurados e o público com a sua demonstração de Nanquan, uma variante de Kung-fu, alcançando o terceiro lugar.

       Francisco da Silva, não tendo ficado nos primeiros lugares, ganhou a simpatia dos presentes com o seu entusiasmo.

     Na 9ª Edição do Concurso Chinese Bridge para Alunos do Secundário, os primeiros lugares foram disputados por 19 alunos, provenientes de várias escolas secundárias de Braga, Porto, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Aveiro, Quarteira e Almada.

     Os primeiros cinco lugares foram ganhos por alunos provenientes de escolas de Braga e Matosinhos, quer dizer por alunos vinculados ao Instituto Confúcio da Universidade do Minho.

      Afonso de Sousa foi o vencedor, com um discurso consistente e uma bela performance musical e Miguel Marta o segundo classificado, após ter surpreendido o júri com uma pintura chinesa. Ambos os alunos poderão, desta forma, representar Portugal no Concurso Internacional Chinese Bridge, na China.

       Os alunos Carolina Mota, Maria Carvalho e Miguel Nunes, os quais ocuparam, respetivamente, o terceiro, quarto e quinto lugar, surpreenderam o público com variadas atuações culturais chinesas, como caligrafia e canto tradicional. O terceiro e quarto classificados irão acompanhar o primeiro e segundo lugar até à China por ocasião do aludido concurso internacional, apoiando os seus colegas.

       Os oito alunos do Instituto Confúcio da Universidade Minho que participaram neste concurso demonstraram não só um bom domínio da língua mas também uma grande sensibilidade para as artes chinesas, resultado, naturalmente, não só de longas horas de preparação como do apoio empenhado dos professores do referido Instituto. A Direção do Instituto Confúcio da Universidade do Minho, tal como os seus professores e colaboradores, congratulam-se com o elevado nível da participação de todos os alunos e, naturalmente, com os resultados alcançados.

 

Veja também: http://news.xinhuanet.com/world/2016-05/03/c_128951902.htm